Crédito.pt

Informe-se antes de pedir

A moeda

Função da moeda

Para adquirir um bem, é preciso pagar, ou seja trocar o bem por uma determinada quantidade de moeda. Constata-se que todos os bens e factores de produção se trocam por moeda. A moeda tem, assim, como primeira função ser um intermediário nas trocas.

É simples medir o valor de cada bem em relação à moeda, ou seja, a segunda função da moeda é servir como medida de valor.

A sua terceira função é a poupança, o entesouramento.

História da moeda

Em todas as épocas, o homem procurou o melhor instrumento para trocar as suas mercadorias. Inicialmente a troca era directa, trocava-se mercadoria por outras mercadorias, mas esta troca tornava-se difícil quando o valor das mercadorias não era equivalente. O homem passou então a utilizar a moeda-mercadoria (sal, trigo, animais,…).

No entanto não era um método prático, dada a dificuldade em dividir e transportar.

Assim, pouco a pouco, foi sendo introduzido o uso da moeda-mercadoria baseada nos metais preciosos, e surge a moeda metálica.

Na Antiguidade e depois na Idade Média, as pessoas começaram a guardar os seus activos em moeda metálica entregando-a a um particular (determinada pessoa que desempenhava as funções de um banco), que dava em troca um recibo correspondente à quantidade depositada: é o precursor da nota bancária. Lentamente tornou-se hábito pagar através destes recibos em vez do ouro e da prata, surgindo assim a moeda fiduciária.

Este papel deverá ser convertível em ouro, mas muitas vezes a circulação das notas ultrapassa o que está em caixa em ouro porque, em princípio, as pessoas não vão reclamar o seu ouro todas ao mesmo tempo.

O papel moeda tornou-se assim cada vez mais independente da moeda metálica.

Simultaneamente desenvolveu-se a moeda escriturai e as trocas traduzem-se por um simples jogo de escrita: os cheques e as ordens de pagamento. De facto, o cheque não é uma moeda mas sim um instrumento de circulação do dinheiro, uma ordem de pagamento dada ao banco.

Mais recentemente, já no século XX, a partir da década de 70 e sobretudo nos anos 80 começaram a desenvolver-se novos meios de pagamento, nomeadamente o cartão electrónico. Com a introdução do cartão automático criou-se uma sociedade onde a moeda não tem suporte material e a desmaterialização da moeda modifica a relação do indivíduo com o dinheiro: “…distanciando-o do valor das coisas e incentivando-o ao consumo”.

Quer uma proposta sem qualquer custo?

Opte por um crédito à sua medida, experimente: