Crédito.pt

Informe-se antes de pedir

Componentes do orçamento

Os Rendimentos

Os rendimentos dizem respeito às entradas de dinheiro

Numa família, os rendimentos constituem a soma de que se dispõe para satisfazer as suas necessidades de consumo e de poupança. No caso de trabalhador por conta de outrem, engloba o salário e/ou outro tipo de rendimentos: abonos de família, prémios de produtividade, cheques-refeição,… Tratando-se de empresários, os rendimentos provêm de lucros e/ou rendas. Por sua vez, os juros das aplicações financeiras constituem igualmente rendimentos das famílias que conseguem realizar algumas poupanças. Para construir um orçamento, é preciso ter em conta estas remunerações bem como a sua natureza e regularidade.

As Despesas

As despesas fixas

São os gastos inevitáveis. São regulares e resultam de uma imposição ou de um contrato, ou seja: habitação (renda ou prestação da dívida), as facturas do gás e da electricidade, o telefone, a prestação de uma dívida de consumo, os impostos,… Como já dissemos, é útil prever nos encargos fixos, uma rubrica de “poupança de precaução”, que permite dispor de uma reserva utilizável em qualquer momento, em caso de necessidade.

As despesas correntes

São as despesas do dia a dia relativas à alimentação, aos divertimen-tos, aos transportes, etc. O mês é normalmente “longo” e as despesas correntes não são fáceis de controlar e reduzir. É mais simples fazer um controlo dessas despesas num prazo de tempo mais curto, uma semana, por exemplo. Se se adoptar este método, o montante das despesas correntes será então fixo por semana, e o reajustamento eventual poderá ser realizado sem esperar pelo fim do mês. Torna-se mais fácil reduzir de vez em quando as despesas do que apertar o cinto todos os dias a partir do vigésimo dia do mês. O orçamento poderá ser personalizado. Podem ser criadas colunas relativas a ‘crianças’, ‘cigarros’ ou ‘ginástica’ permitindo isolar estas despesas, facilitando a avaliação do seu peso nas despesas globais do orçamento.

As despesas ocasionais

Não têm regularidade mensal, são aleatórias e fáceis de comprimir e dependem da qualidade de vida. Podem referir-se, por exemplo, à compra de roupas ou electrodomésticos. É neste tipo de despesas que devemos ter mais controlo. De facto, é perfeitamente possível adiar a compra de um par de sapatos ou de uma peça de vestuário.

Quer uma proposta sem qualquer custo?

Opte por um crédito à sua medida, experimente: